29 de setembro de 2011

I'm tired.


Não queria escrever nada relacionado ao meu atual estado de espírito aqui no meu blog, acho isso dispensável e a verdade é que ninguém gosta de ler essas coisas, mas acho que se eu escrever um pouco talvez possa espairecer nem que seja por um instante.

Estou cansada. Cansada de quase tudo e de quase todos. Cansada de tudo estar dando errado e os problemas parecem que estão longe de sumir. E pensar que o assunto do último post que fiz aqui no blog foi de uma semana agradável (na verdade nem tanto, tive muito estresse também, mas o saldo ainda assim foi positivo).
A verdade é que eu sou uma pessoa que, quando está bem, tem uma auto-estima muito boa (até demais eu diria), mas quando as coisas não vão bem minha mente insiste em me trair e me ameaça com os pensamentos mais desagradáveis. Bem, acho que até aí (quase) todo mundo. O problema mesmo é que eu sou uma bomba de estresse e até um certo ponto de desilusões contida pronta para explodir, e ela acaba explodindo é em mim mesma, porque sou uma tonta que não desconta em quem merece. Começo a achar que tudo que está dando errado é culpa minha (e bem...é), e aí esses pensamentos desagradáveis se espalham, criam raízes e demoram um pouco para sair. E é bem complicado quando as pessoas ao seu redor além de te ignorarem, te magoam, cutucam as suas feridas e deixam você pior do que já estava. Aí eu me fecho mais ainda no meu mundinho e isso vai virando uma bola de neve. Mas uma hora ela para, ela sempre parou e nunca vou deixar que não pare, sou fraca mas não tanto. Mas os pensamentos continuam lá, em algum lugar.

Não pensem que isso é um post-carta-de-suicida porque eu não tenho nenhuma intenção de acabar com a minha vida, gosto dela mesmo em tempos (muito) ruins, não sou idiota a ponto de pensar que a morte vai me salvar de alguma coisa. Se tem alguma coisa/alguém que pode me salvar sou eu mesma, porque ninguém fará isso por você, só você mesmo. Além disso, imagine a tristeza dos que ficam? Esses suicidas são um bando de egoístas, mesmo no final de suas vidas.

O complicado é voltar a ter coragem de ter coragem... entende? No momento estou absolutamente frágil, e chego a pensar que posso enlouquecer. Mas aí lembro que isso é só drama de minha parte e tento recobrar a consciência novamente, e assim ando eu nesta semana infinita, brigando comigo mesma.
O importante é que eu sei que tem pessoas que sempre vão estar ali ou aqui para mim. Bem, quer dizer, quase todo mundo, infelizmente uma pessoa que eu considerava um dos meus melhores amigos simplesmente decidiu me abandonar do nada, sem nenhuma explicação plausível, mas tudo bem, afinal quando um vai outro chega.... certo? Não? Ok.

Enfim, acho que não teve muita gente que leu até aqui, afinal nem eu leria, é um saco mesmo gente de "mimimi", mas obrigada assim mesmo aos que leram.

OBS.: desculpas aos meus contatos de Facebook e principalmente de Twitter, por terem de aguentar tantas palavras de baixo calão e tantas bobagens escritas por uma pessoa triste.
OBS2.: preciso viajar, isso sim renova uma alma! :) Mas como estou sem condições financeiras para bancar uma viagem acho que vou para Paranapiacaba, que é pertinho, todos dizem que é legal e eu nunca fui.
OBS3.: fotografia sempre é uma boa solução. Foi a minha salvação no meio de tanta tristeza e chateação :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário