26 de dezembro de 2012

Seja você mesmo!


Hoje em dia é muito fácil ser você mesmo. Mas também é muito difícil.
Fácil porque nós mulheres por exemplo, não precisamos mais vestir vestidos enormes, temos direito a trabalhar, tomar nossas próprias decisões, casar com quem quiser, expressar nossas opiniões sem olhares tortos. Difícil porque sempre tem alguém com maldade suficiente para zombar de tudo que é diferente deles.

Sempre fui meio "esquisita", e esse negócio para mim de ser eu mesma era um saco. Porque eu era como eu era, não tinha muitos amigos e vivia choramingando pelos cantos, achando que tinha algo de errado comigo. Chegou uma época em que sofri bullying e os meus colegas de escola olhavam torto para mim, e foi aí que eu comecei a ficar realmente desesperada. Comecei a ser mais patricinha só para me encaixar nos grupos das meninas, mas logo percebi que meu papo não batia de jeito nenhum com o delas: enquanto eu falava do último episódio de Pokemón elas falavam da novela da Globo. Daí eu chutei o balde, porque se por um lado a preguiça é um lado negativo meu, por outro eu digo que ela me ajudou neste ponto: tive preguiça de mudar o meu jeito de ser por dentro só para me encaixar. E isso foi ótimo porque uma única menina continuou falando comigo mesmo as amigas dela zombando e dizendo "Nossa Fulana, você vai andar com essa daí?" (é, crianças podem ser bem maldosas). A partir daí eu abri os olhos e vi que apesar de eu ser considerada a "errada" por lá, quem estava errado mesmo eram essas pessoas que zombavam de mim por eu ser como eu era. Além disso, aprendi o valor de uma verdadeira amizade, o que conta é a qualidade, não a quantidade, e aprendi isso verdadeiramente, porque carrego isso comigo até hoje. 
Não é porque um grupo de pessoas com quem você convive zomba de como você é, que todos farão isso. Mude de ares! Foi o que eu fiz quando entrei pro Ensino Médio, mudei de escola e adivinha? Além de lá estar a minha melhor amiga que já tinha mudado para essa escola na quinta série (forte motivo pelo qual eu mudei), lá tinha gente de tudo quanto é tipo por ser uma escola maior: tinha patricinhas e filhinhos de papai, nerds, CDFs, tímidos, piriguetes, extrovertidos, punks, funkeiros, gente com cabelo colorido, gente discreta...

Então cara, não mude por ninguém sério. É um saco ser excluído e ser motivo de chacota por gente estúpida, mas sempre tem alguém que vai te aceitar do jeitinho que você é, tanto por dentro quanto por fora. Você não precisa mesmo usar roupas extravagantes, ou colorir o cabelo, ou usar somente preto para agradar os outros, mesmo porque não tem nada pior do que se olhar no espelho e além de não gostar, saber que aquilo não tem nada a ver com a sua personalidade. Se você fica mudando quem você é dependendo das pessoas com quem você anda, você pode acabar ficando ridículo(a) igual a foto acima.

2 comentários:

  1. Ameeei o seu blog, me identifiquei bastante com esse post já que também sofri bullying e gosto bastaante de Pokemon e nem por isso mudei para me encaixar
    Parabeens:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, fico feliz em saber que gostou! :)
      Pois é, quando a gente cresce a gente percebe que não temos que mudar por ninguém.

      Excluir