15 de fevereiro de 2013

London Experience: pré-intercâmbio


Pois é, deixei o blog abandonado por um mês mas com um bom motivo: realizei um sonho que era fazer intercâmbio e ainda mais para uma cidade que eu sempre quis conhecer: Londres!
Resolvi postar todo o processo pelo qual eu passei para ter essa experiência única, para aqueles que sempre pensaram em fazer intercâmbio, para aqueles que já estão com a viagem marcada, e para aqueles que querem mas por algum motivo estão pensando duas vezes. Quero encorajar as pessoas e dar dicas, espero que eu consiga e tomara que vocês gostem dos posts relacionados ao assunto! :)
Decidi que vou fazer um post com fotos e explicações, tanto de pontos turísticos como do cotidiano ou qualquer coisa que eu achar relevante e vídeos com depoimentos mais pessoais (porque é impossível não falar dessa experiência incrível sem se empolgar) e com (poucas) filmagens lá de Londres. Mas agora, vamos ao assunto principal do post: a preparação do intercâmbio.

O primeiro passo que eu tomei foi pesquisar agências de intercâmbio, visando cursos de inglês (meu objetivo). Vi quais eram as mais recomendadas e lembrei que tinha alguns cartões que peguei quando fui numa feira de intercâmbio faz alguns anos. Entrei no site delas e anotei o endereço das que mais me interessaram. No final das contas eu acabei indo em duas apenas, a CI (Central de Intercâmbio) e na STB (Student Travel Bureau) porque eram as mais recomendas na internet e foram as que os meus amigos e conhecidos indicaram. Como é a primeira vez que faço algo do gênero resolvi não arriscar com agências que ninguém recomendou.

Também é bom ir pensando no destino: Reino Unido, Estados Unidos, Canadá, Austrália, ...? Inglês americano ou britânico? Ou se não inglês, que língua e que país? E se você já tem um país em mente, que cidade? Quanto a nossa moeda vale em relação à do país em questão? Precisa de visto? Quais os costumes do local?
E se os planos de viajar forem quase certos, não tenha dúvidas quanto a ir tirando o passaporte. Quanto antes melhor, e como a validade é de 5 anos, não é dinheiro jogado fora caso você não vá viajar em 1 ou 2 anos por exemplo. O que lembra também que, quanto antes você fechar negócio, mais folga e tranquilidade para o seu bolso, passagens aéreas mais baratas e mais tempo para ver as coisas.

Eu na verdade estava procurando o lugar que fosse mais barato, porque só consegui fazer esse intercâmbio porque várias pessoas - que não convém ficar citando aqui (mas muitíssimo obrigada por tudo) - me ajudaram tanto moralmente quanto financeiramente. Para mim qualquer lugar estaria bom, qualquer lugar seria maravilhoso de conhecer, maaaas, o coração batia mais forte pra Inglaterra, mais precisamente, Londres. Com isso em mente, pedi orçamento em ambas as agências para vários destinos: Londres, Toronto, Vancouver, Sydney, Boston, Nova Iorque, etc. Cidades grandes e pequenas, mais de uma opção de escola e carga horária das aulas. A diferença dos preços não era gritante entre as cidades, mas antes de ir logo optando pelo mais barato, pense: precisa de visto? Quanto custa e quanto tempo demora para tirar? E se for negado, quanto tempo demora para tentar novamente e tentar novamente? O custo de vida (alimentação, transporte, etc) é alto, baixo? A escola que te indicaram nessa cidade é boa?
Pensado bem, eu acabei optando por Londres mesmo. Apesar da moeda ser cara, não precisa de visto se você for lá para estudar e ficar até 6 meses, basta comprovar que você está matriculado numa escola e com lugar para ficar durante a sua estadia na imigração lá no aeroporto. Eu também levei em consideração alguma cidade menor próxima a Londres, mas como eu sabia que eu ia ficar indo e voltando direto para conhecer a cidade, desisti da idéia, já que ia acabar gastando muito tempo e dinheiro com transporte.

A agência que escolhi no final das contas foi a CI, por ter o orçamento mais em conta. Achei o atendimento bom, porém achei que eu tive que ficar um pouco em cima na questão da aquisição das passagens aéreas. Mas eu gostei sim do serviço, eu recomendo. E vale sempre lembrar que essa é a minha opinião sincera, a CI não me patrocina ou nada parecido hahaha! :)

Falando em passagens aéreas, é importante pesquisar as companhias, e não somente ir pelos preços camaradas. Enchi o saco de muita gente perguntando que companhia era boa para o meu destino, desde gente que já tinha ido para lá quanto gente que eu sei que curte viajar e sabe mais do que eu sobre essas coisas. Eu queria um vôo direto por ser a minha "primeira" viagem de avião e ficar mais sossegada, porém a época das passagens mais baratas e promoções já havia passado, e no fim tive que optar pela TAP (o próximo post será sobre o vôo, companhia aérea e aeroportos). Pesquisei no bom e velho Google a opinião de gente que já voou com a empresa antes de comprar as passagens, e não vi nada de muito grave nas reclamações, as pessoas pareciam satisfeitas com o serviço.

Resolvido tudo isso aí em cima, agora é a parte divertida: pesquisar lugares em conta para comer, lugares para visitar, coisas para se fazer, etc. Pesquisei em inúmeros sites, anotei tudo num caderninho e numa data mais próxima da viagem eu usei o Google Maps para imprimir um mapa com todos esses locais pontuados (e que a esperta esqueceu na correria de ir no aeroporto, não sejam como eu hahaha!). É bom pesquisar os preços das atrações que você deseja ver para ter noção de quanto dinheiro você precisa levar e anotar tudo num lugar para conferir depois.

Falando em dinheiro, uma coisa preocupante: comida. A minha estadia foi em casa de família com meia-pensão, ou seja, você tem direito à café da manhã e jantar, o almoço é por sua conta. Pedi ajuda pro tio Google novamente e vi os lugares mais indicados, entre eles estava o Pret a Manger, Wagamama, etc. Lá em Londres tem muitas redes de fast food saudáveis que vendem sopas, sanduíches, comida japonesa, indiana, etc. É bastante variado! Mas confesso que depois de uma ou duas semanas, tudo o que você não quer ver são sanduíches, saladas e etc. Arroz e feijão fazem falta (rs)! Um dia eu resolvi comer num restaurante italiano e comi um risoto suuuper gostoso, porém esse almoço me custou 16 libras contra as 7 libras que eu gastava nos fast foods. E se você quer meeeesmo economizar, tinha uma promoção do Subway que um lanche de 15cm mais uma bebida eram 3 libras e o de 30cm são mais bebida, 5 libras. Nos supermercados também tem marmitinhas de umas 3.50 libras, então morrer de fome ninguém vai.
Mas daí tem gente que fala "é, mas converte essas libras em reais!". É, realmente, se você converter, barato não fica, mas convenhamos: você já comprou as libras, você já contou com esse dinheiro para comer. Então, é barato sim. Com comida eu não pensava no valor reais, afinal é... comida, eu preciso de comida. O que eu pensei mais sobre se valia a pena gastar ou não, era em roupas e outras coisinhas.

Outra coisa indispensável é o transporte. Lá em Londres dá para fazer tudo só de metrô. Lá eles tem tipo o nosso Bilhete Único, o Oyster Card (vai ter um post para ele e para o transporte público de lá). Você compra, recarrega, e já sai usando. As tarifas variam dependendo da zona em que você embarca e desembarca. Não entendeu? Londres é dividida por regiões: o centro é uma circunferência e corresponde a zona 1, daí tem a zona 2 que é um anel envolvendo a zona 1, e assim por diante.

Mapa do metrô de Londres com as regiões de 1 à 6 (se eu não me engano tem 8 ou 9 zonas no total).

Já falamos de como gastar, mas conhecer a moeda do país é importante também. É bom ver como a moeda é fracionada e como ela é visualmente porque turista sempre terá cara de turista, e gente com espírito de porco para te enganar sempre vai ter, aqui, em Londres, e em qualquer lugar. O pound (libra) assim como o real é subdividido em 100 pence (penny = singular de pence). Tem notas de £5, £10, £20 e £50 e moedas de 1p, 2p, 5p, 10p, 20p, 50p, £1 e £2. Bastante moeda né? Lá se algo custa £x.99, eles realmente te devolvem 1penny hahaha! 

Acho que a última dica legal para dar nessa fase pré-intercâmbio é sobre aprender novas palavras que sejam úteis para a viagem, como por exemplo, vocabulário para se virar no aeroporto, caso aconteça algo. Já pensou se sua mala extravia e você não consegue se expressar bem?

Ah, uma coisa que as pessoas me perguntaram foi: com o preço do intercâmbio você poderia ter feito um mochilão, não era melhor não? 
Verdade, com o preço de um intercâmbio dá sim para fazer um mochilão bacana. Ambas são experiências válidas porém distintas. Ano passado quando decidi fazer a viagem, eu pensei em ir para estudar mesmo, logo o mochilão já foi descartado de cara. Se eu quero fazer um mochilão? Lógico! Mas no momento, o intercâmbio era a melhor opção para mim, você tem que ver o que é melhor para você!
Num intercâmbio, você vive no lugar, mesmo que por pouco tempo. O seu cotidiano se torna mesmo que só um pouco, como o dos nativos. Lógico que você vai "turistar", mas você está lá, morando lá. Num mochilão você conhece os principais pontos de um lugar e logo vai para outro. Ambos são vantagens e desvantagens ao mesmo tempo, quem tem de ponderar onde o seu dinheiro vai, é você. Há inúmeros contrastes além desses que citei, e também vale lembrar que o objetivo das duas experiências são bem distintos, nas duas você aprende e cresce, mas são de modos diferentes, acredito eu. Mas eu ainda espero fazer um mochilão sim! :)

É isso gente, espero que tenham gostado das dicas e eu tenha ajudado alguém! Qualquer coisa deixem suas dúvidas nos comentários ou no meu ask.fm! Até a próxima :)

5 comentários:

  1. amei. espero que poste mais, tô interessada em intercambio e procurando no google achei seu blog

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Eba! Que bom que gostou e que tenha te ajudado! :)

      Excluir
  3. Olá Larissa, estou devorando suas postagens de Londres. A Taís me indicou seu blog; Viajo próxima semana para lá e vou passar um mês, porém trabalho muito e decidi tudo em cima da hora, então não consegui montar roteiros nem nada. Estou fazendo tudo agora e seu blog está sendo de grande ajuda.

    Você ficou em qual lugar de Londres? Vou ficar em tooting bec. Eu ainda não vi, mas senti falta de algum post com detalhes de como é ficar em uma casa de família, vi que fotos você não fez lá, mas espero ler mais detalhes dessa parte da experiência.

    Grande abraço,
    Thamara
    www.thamaralaila.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thamara, fico feliz que eu esteja aproveitando meus posts sobre o meu intercâmbio de alguma forma! :)
      Eu fiquei em Woodford, e agora que você mencionou, também estou achando que faltou um post mais detalhado sobre a minha experiência em casa de família hahaha! Como tudo é desculpa para falar sobre Londres e reviver essa minha experiência, vou tentar fazer um post sobre, neste fim de semana (tentar porque TFG e estágio não estão me deixando muito tempo livre rs). Ai que saudades! x)

      De qualquer forma, espero que a sua viagem seja maravilhosa e você aproveite muito!

      Excluir