3 de julho de 2013

Um amor chamado Sherlock Holmes.


Acho que já não é segredo para ninguém o quanto me apaixonei e estou apaixonada pelos contos e romances de Sherlock Holmes, escritos por Sir Arthur Connan Doyle (sim, ele é um Sir).

A minha paixão começou de fato quando assisti a série Sherlock, da BBC. Até então, eu nunca tinha lido nada sobre. Também já tinha assistido o filme Sherlock Holmes (aquele com o Robert Downey Jr) - que aliás foi o meu primeiro contato efetivo com o detetive - mas ele não me interessou tanto a ponto de eu querer saber mais sobre o excêntrico personagem. O engraçado é que quando eu era criança, eu tinha medo de ler os livros porque achava que eram contos medonhos de terror hahaha! Aliás, é por isso que eu não leio mais nada do Edgar Allan Poe, eu gosto muito dos contos, mas infelizmente me impressiono demais com eles.

Quem me apresentou o seriado foi um amigo meu, ele me deu o pendrive dele e disse "pega o seriado chamado Sherlock e Glee, são bem legais". De primeira eu nem dei muita bola, demorei umas duas semanas para pegar para assistir, só vi quando estava na viagem de Bauru para São Paulo. Viciei na hora.
O novo Sherlock Holmes em nosso tempo é daqueles personagens que não tem como não gostar. Apesar dele ser um cretino (me arrisco a dizer até mais do que nos livros), você se interessa pela sua ciência da dedução, por sua falta de humanidade. Você fica curioso.

Ok, vi o seriado. A partir daí foi mais do que natural a vontade de conhecer mais sobre o personagem original. Queria comprar os livros, mas livros no Brasil são caros, então adiei até que o dia em que um bixo da faculdade que ficou alojado na minha república, que compartilhava do mesmo interesse pelo detetive, me emprestou As memórias de Sherlock Holmes. Como sempre, demorei para pegar no livro, mesmo porque estava com a faculdade e tudo mais, mas quando peguei, li em dois dias. Gostei muito daquele livro, nele vinha comentários e ilustrações da Strand Magazine (revista na qual a maioria dos contos fora publicado). A quem interessar, é o livro publicado pela editora Zahar. Lógico que a lombriga voltou e fui pesquisar os preços dos outros livros da coleção, e decidi que iria economizar para poder ter a coleção. Acabei ganhando As Aventuras de Sherlock Holmes da mesma editora no meu aniversário do ano passado, e eu li ele nas férias de julho.

Nem tinha terminado de juntar o dinheiro, quando surgiu a oportunidade de fazer um intercâmbio para Londres. Lá visitei o Sherlock Holmes museum e comprei o box lindo da Collector's Library

Um black cab por causa da série da BBC hehe! :)

Todos os títulos.

Não tenho palavras para dizer o quanto eu acho esse box lindo!

Sherlock Holmes com seu nariz de falcão e seu fiel companheiro Dr. Watson.

O box vem com uma fitinha para facilitar a retirada dos livros.

Sir Arthur Connan Doyle.

Esqueci de tirar foto do livro sem a jacket, então vai uma foto do Inatagram mesmo.

Eu adorei o box, os livros são lindos com ou sem a jacket. Para ler eu prefiro sem a jacket, sou meio desastrada e não quero estragar ela. Mas como tudo tem seu lado positivo e negativo, esses livros não tem ilustrações. Não que seja algo essencial, mas como tinha lido os livros da Zahar eu senti falta. Mas em geral a qualidade é muito boa, e no final tem comentários sobre como o livro/contos foram publicados, é bem legal. Também pude treinar meu inglês e isso é muito bom :)
Ainda não li todos, falta ler o The Hound of the Baskervilles e The Valley of Fear (que na verdade é um livro só na coleção da Collector's Library). Não li The Adventures e The Memoirs porque já tinha lido em português, mas pretendo ler também em inglês quando tiver um tempinho.

Agora finalmente vou falar um pouco sobre os romances e contos. Quem os conta é na maioria das vezes o fiel amigo e companheiro do detetive, o médico John Watson. Sherlock Holmes é um ser que liga somente para o prazer de fazer o seu cérebro funcionar e resolver os mais estranhos casos, então ele não liga para créditos, tanto é que, em todos os casos que ele resolve com a polícia, é ela quem leva o crédito, mesmo ela tendo feito tão pouco. Como Watson acha isso um absurdo, ele transforma os casos de deu amigo em histórias escritas e devidamente registradas.
Os dois de conhecem em A Study in Scarlet por acaso, já que Watson está de volta à Inglaterra devido a um ferimento feito por um tiro no ombro (que em The Sign of Four acaba indo para a perna) ocasionado na guerra na Índia (Segunda Guerra Anglo-Afegã, ele era cirurgião do exército), e precisa de um lugar barato para morar. Um antigo colega dele o apresenta ao detetive ao saber da necessidade de Watson, e  no encontro, Sherlock deduz muitas coisas a respeito do médico, que o deixa intrigado. No começo o médico não acredita na ciência da dedução, mas ao acompanhar o caso que se desenvolve no romance, Watson fica impresionado e cada vez mais curioso sobre Sherlock e seus métodos de resoulção de crimes.
Sherlock se auto-intitula um "detetive-consultor", trabalhando para a polícia quando o caso lhe parece intrigante e em casos particulares, de clientes que chegam até a sua casa na famosa 221B Baker Street. Ele analisa os fatos e a partir deles, deduz e chega na resposta. Ele analisa todas as possibilidades, retira as que não se encaixam aos fatos, e a que restar, por mais improvável que seja, é a verdade.

Sobre a ordem de leitura, acho que não tem uma correta. Eu segui a ordem que a editora Zahar ordenou seus livros: The Adventures, The Memoirs, The Return, His last Bow, The Case-book; e a partir daí li os romances nesta ordem: A Study in Scarlet, The Sign of Four, The Hound of the Baskervilles e The Valley of Fear (estes dois últimos eu ainda não li).

Bom, acho que já falei demais para um post só, então vou parando por aqui. Espero que eu tenha dado nem que seja uma pontinha de vontade em vocês de lerem  as histórias de Sherlock Holmes, e admirar seus talentos e feitos tanto quanto Watson.

Até a próxima!

3 comentários:

  1. Sou apaixonada pela Collector's Library!!! Meu sonho é colecionar todos os livros da editora. São tão baratinhos e bonitinhos e (embora as páginas não sejam tão boas assim) são de boa qualidade. *---*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São lindos demais né? O box então.. ai ai, amor à primeira vista!
      As páginas são fininhas mesmo, mas achei de boa!

      Uma pena que o único lugar que vi vendendo livros da Collector's Library foi a Saraiva, mas estavam todos com a jacket arrebentadas por causa da falta de cuidado das pessoas :/
      Você sabe onde encontrar?

      ;*

      Excluir
    2. No Brasil, já encontrei na loja física da Saraiva e na loja virtual da Cultura (http://busca.livrariacultura.com.br/?termo=collector%27s%20library). Alguns dos livros compensam ser comprados pelo The Book Depository (http://www.bookdepository.com/search?searchTerm=collector%27s+library&search=Find+book), porque são bem baratos lá e são todos com frete grátis pro Brasil.

      Excluir