4 de abril de 2016

Bora patinar?


Quem aí já tentou um milhão de vezes ir para a academia entrar nessa onda de geração saúde, pagou por um monte de meses e parou de ir em questão de semanas levanta a mão o/

Hahahaha ok, não foi bem assim (foi quase). Quando eu era adolescente, lá pelos meus... não sei, 15 anos? Eu fiquei toda empolgada em começar academia, porque nossa, vou ficar saudável, vou parar de morrer sem ar após 2 minutos de corrida, vou ficar mais magra, blá blá blá. Fui com a minha mãe para uma academia aqui do bairro e acabamos fechando um pacote de 6 meses porque assim o custo benefício era melhor. Eu fui direitinho por 2 meses. No terceiro eu já ia umas 3~4 vezes por semana. No quarto 1 vez e olha lá e depois eu fiquei 2 meses inteiros sem nem dar as caras lá. Foi mal mãe.
A segunda tentativa foi há uns 2 anos atrás, quando eu recebia um benefício da empresa para academia. Fui direitinho por uns 2 meses e depois desandou também. A terceira foi depois dessa desandada de uns 4 meses, mas eu fui direitinho por 1 mês só e depois para o meu alívio a empresa cancelou o benefício.

A verdade é que para mim, academia é um negócio chaaato. Não gosto de ficar 1 hora na esteira, olhando para a mesma coisa, ou então fazendo o mesmo movimento de braço ou perna infinitas vezes e fazer a mesma coisa no dia seguinte ou no outro dia. É monótono, é chato, é sem graça. Admiro quem consegue, porque olha, se eu conseguisse ia ser tudo muito mais fácil.

Tuuudo isso para falar que depois de mais ou menos uns 6 meses parada, só andando na volta para casa, eu decidi que eu tinha de fazer algo. Estou com 24 anos, começando a ganhar peso e ficando cada vez mais sedentária. Mas não tinha como voltar para a academia simplesmente, sabia que eu não duraria. Pensei, pensei, pensei e pensei mais um pouco. Daí veio a brilhante idéia: bicicleta!

Eu ia e voltava da faculdade de bicicleta, lá em Bauru, e era uma coisa que eu gostava, era muito melhor e mais divertido do que ir à pé. Só que lá era Bauru, aqui é São Paulo. Apesar de estarem surgindo muitas ciclovias, aqui na minha quebrada ainda não tem muitas opções, eu teria que transportar a bicicileta até algum parque mesmo. Ok, eu não dirijo (não tenho prática, sei dirigir na teoria hahaha) então de carro eu não iria levar a bendita. Tudo bem, então tem que ser de metrô mesmo. Beleza! Vamos ver os preços das bicicletas leves e dobráveis e ó meu deus, esquece. Sério, elas são bem caras, ainda mais para ficar andando de transporte público e depois ainda ter que pedalar até em casa... não ia rolar.

Foi então que eu lembrei da primeira coisa sobre rodas na qual eu já andei: o patins!


Nem lembro com que idade eu comecei a andar de patins, só sei que quando o meu ficou pequeno, peguei o do meu irmão, e quando o dele ficou pequeno, dei adeus para a modalidade. Porque não voltar a andar?

Para ser bem sincera, eu já havia considerado isso antes, mesmo quando ainda estava em Bauru. Mas na época eu tinha visto os preços dos patins e cara, eram caríssimos. Claro que quando fui pesquisar agora nesse começo de ano os preços não estavam nem um pouco melhores, mas como eu estava afim de levar a sério, seria algo transportável e só estava vendo benefícios na coisa toda, resolvi investir esse dinheiro.

Para começar, fiquei bem perdida quanto a marca. Os meus de criança meu pai simplesmente tinha comprado o mais barato e já era. Lembrei que tinha visto uns numa loja grande de artigos esportivos e resolvi dar uma olhada. Eu queria comprar um patins bem básico, mas os básicos que tinham lá eram bem ruinzinhos, os melhorzinhos já custavam uns 700 reais.

Voltei para casa de mãos vazias, pois não havia encontrado nada que me agradasse naquela loja. Cheguei em casa, abri o computador e joguei no Google "marcas boas de patins". Foi unânime, todos os sites indicavam Rollerblade ou Traxart (alguns indicavam uma marca alemã também). A Rollerblade é americana, e depois descobri que quando eu era criança, essa marca era top; a Traxart é brasileira, e eu nunca havia ouvido falar nessa marca.

A maioria dos lugares que achei para comprar eram pela internet, e eu não gosto de comprar coisas online, ainda mais quando são coisas que eu sei que tem risco de não servirem. Daí eu até tinha dado uma desencanada, quando me lembrei que no Shopping Metrô Tucuruvi tem uma loja que se eu muito não me enganava, tinha patins na vitrine. Qual não foi minha surpresa ao ver o letreiro e ver que era a tal da Traxart?

Os preços também espantaram: os da vitrine eram 500, 600, 700 reais. O atendente da loja foi lá conversar comigo, deixou o planfeto mas eu não entrei, porque me assustei com os valores. Mas depois de pensar bastante, voltei no dia seguinte, porque eu realmente queria investir nisso.

Ele perguntou sobre qual era o meu objetivo com os patins, se era recreação ou para manobras. Expliquei que eu não andava de patins fazia anos e que eu não sabia se saberia andar em linha reta para frente, quanto mais fazer manobras hahaha! Ele desceu 3 modelos para mim. Eu experimentei primeiro o mais barato, depois um ccom preço intermediário e por último o mais caro. E claro, adivinha? Meu pé tem gosto por coisas caras, só pode ser hahaha! O que eu experimentei por último e gostei mais foi o modelo Jet Platinum.




O Jet Platinum é o melhor modelo da linha recreação/fitness deles, por ele ter um cano um pouco mais alto, dá mais segurança. Ele é softboot, ou seja, a bota é que nem um tênis, em tecido. Existem também os hardboot, que são aqueles com a bota em sua maioria em plástico, só com um revestimento fino em tecido por dentro. Por conta disso, ele é beeem confortável. 
Na parte do pé o patins é ajustado por meio de cadarço, e mais para cima no tornozelo, tem dois fechos em catraca. Eles deixam o patins bem firme no pé.
O rolamento é o ABEC-7 e as rodas são as rodas popularmente chamadas de gel (ele falou o nome de verdade, mas eu esqueci). Eu não entendo muito dessas coisas de rolamento, mas quanto maior o número, mais rápido (menos passadas você precisa dar para ele andar uma certa distância) o patins é, pelo que eu entendi. A lâmina é em metal e é decorada no lado externo. Ele é realmente um modelo muito bom de andar, desliza bem e não faz barulho, sério mesmo, eu gostei bastante! Melhor investimento dos últimos tempos!

Agora, vamos falar das proteções (que também foram compradas na Traxart, virei praticamente garota propaganda deles hahaha). Como você pode ver pela foto de abertura do post, e se você me segue no Instagram também sabe, eu uso todas as proteções possíveis. É raro ver gente usando tudo, e eu entendo, esquenta e o capacete por exemplo é bem feinho. Contudo porém entretanto, quando você conhece alguém que já caiu de bicicleta e arrebentou a cabeça, você passa dar um pouco mais de valor para essas coisas.

Essa pessoa que eu conheço caiu bem caído, foi daquelas situações em que a roda da frente emperra e você sai voando para frente. Essa situação é meio incomum, mas geralmente quando você se desequilibra, você tem os pés livres para impedir a queda. Com os patins, você vai lá dar uma de Globeleza, mas uma hora fatidicamente vai cair, porque bem, quanto mais você sambar para recuperar o equilíbrio, mais escorregadas você vai dar. A questão aqui é que na minha opinião, cair de patins é bem mais fácil e perigoso que de bicicleta, por isso acho essencial que a pessoa pelo menos use as luvas, cotoveleiras e joelheiras. Esses equipamentos ajudam não só você a não ralar a pele, como também para dar uma escorregada na superfície e o impacto não ir todo pro seu braço ou perna.




Além dos patins serem algo mais portátil, é uma atividade que pode ser realizada em todo canto de superfície plana e lisa (pode ser asfalto, só não pode estar cheio de buracos e britas aparentes). Eu já andei no Parque da Juventude e no Parque do Ibirapuera, tanto na marquise quanto no circuito mesmo. Sei que dá para andar no Parque Vila Lobos, mas isso é assunto para um post futuro :)

Patinar é super gostoso, se você assim como eu não suporta academia, acho que você deveria tentar. Sei que no Parque Vila Lobos tem para alugar, que tal você fazer um test-drive antes de comprar um patins para chamar de seu? Ou se patins não é a sua praia, que tal tentar a bicicleta, stand up paddle, tênis, cooper... enfim, o que vale é se movimentar e mandar o sedentarismo embora!


Até a próxima! :)

6 comentários:

  1. Aaaaaaaaaaaaaaai que saudade de andar de patins, minha nossa! Eu gosta mto mto mesmo, até queria ser patinadora profissional ahhahahahaa
    patinar é mto bom mesmo e esse teu post só me deixou com vontade de ir dar umas voltinhas de patins! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que legal Taís! Você sabe andar de verdade? EU só sei andar para frente e mal sei frear HAHAHAHA! Queria fazer umas aulas para aprender direitinho hehe!
      Tem lugares legais para andar por aí? :)

      Excluir
  2. AAAAAAMO PATINS! Há algum tempo comprei o modelo clássico, não acreditei quando disseram ser mais difícil de andar, mas vez ou outra estou lá no Vila Lobos levando uns tombos hahaha
    Tenta ir por lá aos finais de semana, tem sempre alguém pra te dar umas dicas!

    Vem conhecer meu blog? Comecei hoje <3
    Beijo


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre quis tentar o modelo clássico, mas eu sempre tive o inline mesmo, mas quem sabe um dia? Também queria ir no Vila Lobos, nunca fui, sou a pior paulistana hahahaha! Vou no Ibirapuera mesmo, que é um pouco mais perto de casa :)

      Excluir
  3. Eu sou tão, mas TÃO sedentária que até fiquei com inveja da sua força de vontade, viu? Eu, por exemplo, nunca nem tentei fazer academia. Já rolou vontade, mas nunca fui para a fase de me matricular hahaha

    E, olha, eu acho que nem sei mais andar de bicicleta, de tanto tempo que não subo em uma, quem dirá patins...
    Minha irmã mais nova tem um e adorava andar, mas ela caiu e se esfolou toda e não quis mais andar hahah

    Espero que você se divirta muito e, claro, que sua saúde e seu bem estar melhorem muito!

    Abraço,
    milenaschabat.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, antes assim, porque você não gasta dinheiro à toa aheuaehuaehua!
      Eu não andava de patins desde os meus 8~9 anos, tive só um pouco de dificuldade para "reaprender", sério, é bem rápido se você já andou! :)

      Excluir